domingo, 3 de março de 2013

Um amor islâmico - homenagem do blog a todas as mulheres do mundo



         Dilma e o Taj Mahal - um momento de paz diante da sétima maravilha do mundo

Nem Orfeu e Eurídice, Nem Khais e Laila, nem Tristão e Isolda e nem Romeu e Julieta.

A maior prova de amor de todos os tempos é a paixão do imperador Shah Jahal pela sua mulher Banu Baigan.

O Taj Mahal.

Um mausoléu  construído na cidade de Agra, Índia, em 1632 pelo governante muçulmano Shah Jahal para perpetuar sua amada Arjumand Banu Baigan que ele carinhosamente chamava de Mumtaz Mahal (Pérola do Palácio), mãe de seus 14 filhos, falecida em 1631.

O  monumento foi a demonstração   definitiva que o imperador muçulmano encontrou para homenagear a memória de sua esposa, que morreu apos dar a luz o seu 14º filho.

Diz a história que Shah Jahan era tão apaixonado por Banu Baigan, que lhe foi fiel toda a vida.

E que morreria logo depois dela.

A presidente Dilma, que esteve na Índia visitou o mausoléu a exemplo de milhões de pessoas de todo o mundo.

Que todos os anos visitam esse monumento considerado uma das sete maravilhas do planeta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário